Sobre

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICO-ONCOLOGIA

Entidade civil, de âmbito nacional, sem fins lucrativos, de caráter cultural, técnico, científico e político.

Foi criada em 1° de Maio de 1994 com o objetivo de congregar profissionais e estudantes da área de saúde e áreas afins à Psico-Oncologia, visando a divulgação e o desenvolvimento da Psico-Oncologia em todo o território Nacional.

O patrimônio da SBPO é constituído de receitas advindas das taxas de remuneração de seus serviços, de contribuições de sócios, dos resultados de eventos científicos, de locações, doações e subvenções federais, estaduais e municipais.

Como associação civil sem fins lucrativos, aplica suas rendas exclusivamente no Estado Brasileiro e não distribui seu patrimônio entre seus associados, conselheiros e doadores, devendo aplicá-lo integralmente na consecução de seu objetivo social.

Para seu pleno funcionamento, a SBPO deve estar constituída pelos seguintes órgãos (Cap. 1, art. 20 do Estatuto): Assembleia Geral, Conselho Consultivo, Conselho Fiscal, Diretoria Nacional, Diretorias Estaduais, Núcleos e Comissões.

Visão e Missão

A Psico-Oncologia foi definida no Brasil como uma área de interface entre a oncologia e a psicologia (Gimenes, 1994), na qual se o utiliza o conhecimento educacional, profissional e metodológico da psicologia da saúde com o objetivo de aprimorar a assistência ao paciente e favorecer a atenção integral às suas necessidades biopsicossociais e espirituais.

Em consonância com a definição de Psico-Oncologia, a SBPO enfatiza que:

  1. A assistência do psico-oncologista deve ser disponibilizada em todas as fases do acompanhamento ao paciente, incluindo intervenções relacionadas à prevenção, ao diagnóstico, aos tratamentos, à reabilitação e, quando trata-se de doença sem possibilidade de cura, aos cuidados paliativos e processo de finitude;
  2. Pesquisas devem ser desenvolvidas para a identificação de variáveis psicossociais que contribuam, dentre outras coisas, para: minimizar comportamentos de risco; buscar diagnóstico precoce, aderir às orientações e tratamentos propostos; adaptar-se ao diagnóstico e tratamentos; melhorar a qualidade de vida; prevenir transtornos psíquicos; favorecer a comunicação profissional-paciente-cuidador; diminuir a incidência; compreender a influência de variáveis psicossociais no desenvolvimento da doença; colaborar para a recuperação; aumentar a sobrevida; manter a dignidade do paciente e qualificar a assistência durante o processo finitude;
  3. Intervenções psicossociais, protocolos de assistência e ferramentas de avaliação precisam ser desenvolvidos e aprimorados para auxiliar no aprimoramento do cuidado ofertado ao paciente com câncer nas diferentes fases da doença – prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação e cuidados paliativos;
  4. É necessário que psico-oncologistas participem ativamente da organização de serviços que atendem pacientes com câncer, primando pelo desenvolvimento de ações que possibilitem a integralidade da assistência;
  5. Psico-oncologistas precisam contribuir para a formação e aprimoramento dos profissionais que atuam com pacientes com câncer, principalmente no que se refere aos aspectos psicossociais envolvidos na assistência;
  6. Deve-se contar com a colaboração do psico-oncologista para o desenvolvimento de políticas de saúde que priorizem a atenção integral e humanizada para pacientes com câncer e seus cuidadores.

Nesse sentido, como presente no artigo 4º do Estatuto, são finalidades da SBPO:

  1. Estudar e debater questões, assim como, sistematizar a atuação de profissionais na área definida como Psico-Oncologia;
  2. Realizar atividades assistenciais, educativas, culturais e políticas na área da Psico-Oncologia;
  3. Promover a transdisciplinaridade zelando pela assistência integral à pessoa com câncer, a família, bem como os profissionais envolvidos;
  4. Fomentar pesquisas e promover o aperfeiçoamento técnico e científico de seus associados, assim como, promover a discussão sobre a ética e as questões econômicas relacionadas ao exercício profissional da Psico-Oncologia, por meio da realização de eventos científicos;
  5. Divulgar a Psico-Oncologia e zelar pela sua prática coerente com os valores éticos;
  6. Estimular os profissionais de saúde a realizarem publicações que atualizem e socializem os conhecimentos da Psico-Oncologia;
  7. Conferir a proteção moral e cultural e jurídica aos seus associados e promover a defesa dos seus interesses desde que estejam de acordo com as finalidades da SBPO;
  8. Realizar intercâmbios e celebrar convênios com as sociedades congêneres ou de áreas afins, nacionais ou internacionais, que exerçam funções assistenciais, educativas, culturais, políticas e econômicas que beneficiem as partes.